sábado, dezembro 01, 2007

O dia em que morri na estação

Esperava encontrá-la em Montauk. Achei que sempre teríamos Paris. Vi meus sonhos dissiparem em Veneza. Fugi de bicicleta em Roma, aquela cidade aberta. Dei um último adeus em Berlim oriental. E morri pateticamente no chão de uma estação de metrô em São, São Paulo, meu amor, assim com um disparo inconseqüente de um tiroteio improvável. É pra ficar puto, não é?

3 comentários:

lyS disse...

E pra ficar muito puto!

Menina Lunar disse...

Eu também ficaria.

=*

Carolina disse...

Amei.