segunda-feira, setembro 10, 2007

A série C e eu

Fui ao simpático estádio Marcelo Stéfani em Bragança Paulista na companhia de parentes e amigos estimados. Assistimos a peleja entre Bragantino e CRAC, de Goiás, pela inigualável Série C do Campeonato Brasileiro. Seis reais a entrada, estudante paga meia e mulher entra de graça. Todo mundo animado já que o técnico Marcelo Veiga voltou duma frustrada experiência no América de Natal. Logo de cara, o time da casa fez um a zero num gol de pênalti. Pouco tempo depois, o time goiano empatou, num passe torto do camisa 6 do Bragantino que, à partir daí foi xingado pela torcida local cada vez que pegou na bola. Só não foi tão ofendido quanto o árbitro. Quando o CRAC virou o jogo, o homem do apito transformou-se sabe-se lá por qual motivo no grande culpado pelos males bragantinos. Por volta dos 20 minutos do segundo tempo, os goianos tiveram um jogador expulso. Começaram a fazer cera e o time todo ficou pendurado. Um deles é retirado de campo pelos maqueiros locais e jogado estratégicamente na lateral do campo onde babões torcedores lavaram-no com cuspe e ofensas diversas. E o Bragantino era incapaz de chutar para o gol. E o juíz continuava sendo mais xingado que o lateral que não acertava um cruzamento. E goleiro do CRAC saiu contundindo e o time teve outro jogador expulso. E a torcida até o fim culpou o árbitro. E, claro que depois de sair do estádio, a culpa não era mais do árbitro e sim “dessa porrrrcaria de time” que não fez gol
A cultura do futebol me diverte por essas e outras razões. O juíz é como o satanás. No calor do momento é o culpado por todos os males... é um personagem trágico, quase metafísico. Bom, deu preguiça de desenvolver melhor o raciocínio... agora me deu vontade de falar sobre o Ronaldinho Gaúcho (aliás, porque cacete ele não pode ser só Ronaldinho e o gordo ser só Ronaldo?). Vou escrever outro post já!

Um comentário:

Rafael Fidelis disse...

Poxa a culpa foi do juizz!!XDDD