quinta-feira, maio 01, 2008

O prazer do incômodo

Evaldo Rubens decidiu não mais buscar aqueles sonhos tão intensos. Resolveu não ligar para aquela garota. Esperou a chuva passar. Não falou com os amigos. Deixou o miojo empapar. Notou sua tamanha inadequação. Cada homem é uma ilha, pensou. Pequena, desesperada e isolada, tentando se relacionar nesse patético e opressivo arquipélago de carne, recalque, sentimentalismo e prestações atrasadas. Gozou a solidão. Sem senso, intenso. Melancolia é o caralho.

6 comentários:

F. disse...

Nada como um primeiro e maio na vida do Evaldo.

lyS disse...

"Melancolia e o caralho" de vez enquando me inspiro na sua acidez verbal.

Avoada disse...

"(...)recalque, sentimentalismo e prestações atrasadas.(...)"

São frases assim...que me fazem, tão, fã.

Beijo, Rodrigone!
;)

Fábio disse...

Fala Don! Beleza?

Quer trocar links?

Abraço,
Fábio
www.hupty.com
hupty@hupty.com

ANA disse...

Esse Evaldo vai sair andando daqui a pouco!

Rs.

Raquel disse...

Evaldo não morreu!
Nem eu!

=**