sábado, maio 31, 2008

Sonhos de uma noite de outono

Naquela noite sem fim, o rádio só toca She lost control. Todos os seus dentes parecem ter caído. É sempre sexta-feira, mas quase todos foram viajar. Nas ruas e baladas, corpos se esfregam e se tocam quase que por obrigação. A chuva nunca chega. A cerveja é choca e o ar é seco, sujo e repleto de idéias repetidas. Só agora você percebe que está nua e se vê no meio de uma repentina multidão. Não há onde se esconder. E nunca é de manhã. E ela perde o controle de novo.

6 comentários:

Ana disse...

Se perceber bem, todos estão nus. Andando com o que sobrou do homem quando as máscaras cairam. Mas todos estão nus. Alguns só disfarçam melhor!

avoada disse...

igual sempre...

fulana disse...

A gente SEMPRE perde o controle e eu já não tenho mais medo disso.

Bonito texto...

Zíngara disse...

Hey, Fulana é a Zíngara. hehe

F. disse...

Voltastes em grande estilo, don. Apareça mais.

Anônimo disse...

nao percebi, podiam esclarecer ?