quinta-feira, junho 28, 2007

o mangue da memória

Depois de ouvir da "Lama ao caos" duas vezes seguidas, ela foi rumo ao pântano de sua memória no início daquela noite. Era um mangue, mas ela queria que fosse pântano e por isso o era. Usava apenas um vestido azul desbotado e um colar de mágoas. Ela vai deleitar-se para sempre chapinhando naquela lama de mangue ilusório. Não é a lama como a dos dias da manguetown, mas ainda assim basta para acalentar seus anseios de caranguejo. Caranguejo de pântano, não de mangue.

6 comentários:

Anônimo disse...

Salve, Rodrigone!
O blog vai muito bem, mandou legal nos textos do João Rock. Acho até que podia nascer daí a idéia de um blog sobre os programas do Canal SP, talvez algo coletivo, afinal tem boas histórias pra se contar, enfim...Grande abraço!
Dill Rodrigues
.

anna v. disse...

caranguejos com ou sem cérebro?

Raquel disse...

Mulheres...

Chapolim disse...

Os caranguejos só ficam bons depois que limpam toda aquela lama e nos servem ensopado...

Rui disse...

Ai ... O colar de mágoas !

Dani disse...

Caranguejo só anda pra trás...taí o pq da mágoa!!!