sexta-feira, julho 13, 2007

o bloco de notas esquecido no Sesc Pompéia

Eu esqueci meu bloco de anotação no Sesc Pompéia quando fui entrevistar o Laerte. Consegui uma boa entrevista e perdi aquele monte de papéis com idéias, e-mails e um texto enorme que escrevi pra postar aqui no blog. Um texto sobre minha avó. Talvez eu volte a escrever isso... mas a vontade de falar dele veio de um lance meio sensorial... estava num ônibus e senti o cheiro do mesmo creme que ela usava quando eu dormia vários dias na casa dela. Isso despertou tanta lembrança boa. Espero não ter esquecido tudo o que queria dizer. E que quem encontrar esse bloquinho goste do que ler por lá!

6 comentários:

M. disse...

Putz, perder bloquinho é desesperador -- e triste. Vc podia escrever um conto sobre o caminho que ele percorreu depois de deixar suas mãos!

lyS disse...

Eu sofreria de depressão profunda se perdesse meu bloquinho.

Raquel disse...

é triste sim, porém o mais importante é o que está na sua cabeça. Escreva de novo sim, espere o momento e o texto virá, quem sabe até melhor que esse...

Chapolim disse...

As avós e os bloquinhos talvez sejam as invenções mais maravilhosas da humanidade.

Bigwall disse...

Nossa! Perder coisas assim dificulta a nossa vida.

Olhaí o meu novo blog
www.fsr-confraria.blogspot.com

Ferdi disse...

E quando o bloquinho atende pelo nome besta de 'wordpad' então, e sumiu com sua matéria de capa de 126 centímetros?
O único jeito é escrever de novo... E sobre avó, bom d. Rodrigone já sabe que eu sou suspeito nesses assuntos de avó...